1 de mar de 2009

Metrô

















Mais uma vez trago desenhos feitos no metrô de São Paulo. Pela manhã, as pessoas ainda estão meio que dormindo em pé. Por conta disso, caminham como zumbis, automaticamente, seguindo em fila para o trabalho, como gado açoitado. Quem vive em São Paulo, acredito eu, vive uma eterna relação de amor e ódio com a cidade. Confesso que no final do ano passado estava de saco cheio da verticalidade, poluição, correria, e tudo o que acontece nessa babilônia que é a “terra da garoa”... Mas não adianta, uma vez aqui, não tem como escapar, não me imagino vivendo em outro lugar, pelo menos não nos próximos 30 anos. E além do mais, se São Paulo é feia como dizem é também, por outro lado, a cidade das pessoas, aqui tem gente de todos os cantos do Brasil. E por Deus, como tem gente nesta cidade! É justamente aí que reside sua maior riqueza, afinal, são estas pessoas invisíveis que movem toda a engrenagem da maior cidade do País. Invisibilidade esta que só é superada quando ocorre um caso como o da comunidade de Paraisópolis, só pra citar um caso recente, onde os moradores se revoltaram, segundo alguns relatos, devido à brutalidade exercida pela polícia da região. Não vou entrar aqui no mérito de quem estava certo ou não, apenas reforço, o já sabido, descaso exercido pela classe dominante contra o povo pobre, que só em casos semelhantes passa a ser palpável e, infelizmente, este não é um caso isolado.
Bem, voltando ao assunto do desenho, no dia-a-dia, todos parecem estar de saco cheio. Tudo muito compreensível visto que a maioria vive uma rotina difícil de trabalho árduo, pouca grana e falta de esperança quanto ao futuro. Apenas vamos sobrevivendo e vendo o rio da vida passar sem mergulhar nele. Não tem como não notar o ar melancólico que predomina nos vagões. É como se estivéssemos todos esperando que alguma coisa bacana acontecesse, sei lá... sacar o sentido da vida, arrumar um emprego digno, uma garota pra dividir as coisas, o final do ano e toda uma sorte de sonhos que uma pessoa pode ter.
Pela janela, as casas vão correndo pra trás, o Sol mais forte agora, recortando a calçada, vamos observando a paisagem, mas não vemos nada, cada um está em seu próprio mundo, viajando, mergulhado em pensamentos, vagando, à espera de dias melhores.

2 comentários:

Anônimo disse...

olá, penso o mesmo, São Paulo é isso mesmo, moro em Belo Horizonte mas meu noivo mora ai, e nao vemos a hora de morarmos aqui em BH, O MELHOR LUGAR DO BRASIL, TE GARANTO QUE QUANDO VC VISITAR BH, VC VAI SE APAIXONAR COM A CIDADE, TAO MOVIMENTADA COMO SAO PAULO, MAS EM ,MEIO A MONTANHAS E CEU AZUL,TEMPERATURA GOSTOSA O ANO TODO,,,
OH MINAS GERAIS,
QUEM TE CONHECE
NAO TE ESQUECE JAMAIS,
RS
PARABENS PELO SEU TRABALHO..
MUITO BOM.

joão pinheiro disse...

Lendo isso fiquei com vontade de conhecer BH. Já coloquei isso nos meus planos.

Vida longa.